Blog

Últimas Notícias

42959648_1888726114551834_6529598622164582400_n.png?fit=600%2C600&ssl=1
01/out/2018

Começou o Outubro Rosa hoje, 01 de outubro, que visa chamar atenção sobre o Câncer de Mama. O G1 preparou uma reportagem sobre esse tema.

O câncer de Mama

O câncer de mama é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil. Ele não tem uma causa única. São vários fatores que podem aumentar o risco de desenvolver a doença, como fatores endócrinos/história reprodutiva, fatores comportamentais/ambientais e fatores genéticos/hereditários.

Mulheres mais velhas, sobretudo a partir dos 50 anos, são mais propensas a desenvolver a doença, mas isso tem mudado. Houve um aumento na incidência de câncer de mama em mulheres jovens na última década. Em mulheres com menos de 35 anos, a incidência no Brasil hoje está entre 4% e 5% dos casos.

Sintomas

A principal manifestação da doença é o nódulo (caroço), fixo e geralmente indolor. Ele está presente em cerca de 90% dos casos quando o câncer é percebido pela própria mulher. Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja também é sintoma, assim como alterações no mamilo. Fique atenta também se aparecer algum nódulo na axila ou no pescoço e a qualquer saída de líquido anormal das mamas. Vale lembrar que grande parte dos casos são assintomáticos.

Autoexame

O autoexame deve ser praticado mensalmente entre o 7º e o 10º dia contados a partir do 1º dia da menstruação. As mulheres que não menstruarem devem escolher um dia do mês.

  • Mama – Para examinar a mama esquerda, coloque a mão esquerda atrás da cabeça e apalpe com a mão direita. Para examinar a mama direita, coloque a mão direita atrás da cabeça e apalpe com a mão esquerda.
  • Mamilo – pressione os mamilos suavemente. Verifique se há alguma secreção.
  • Axilas – após examinar as mamas, apalpe toda a área debaixo dos braços.

Hereditariedade

O câncer de mama de origem hereditária representa de 5% a 10% dos casos da doença no país. A explicação é uma mutação nos genes. “Acontece na célula germinativa e é passada de geração em geração. Então um filho de um portador com a mutação tem a chance de herdar 50%”, explica a mastologista Cláudia Studart.

Cada paciente representa uma família inteira em risco. A partir daí essas famílias têm que ter um acompanhamento médico e um aconselhamento genético.

Diagnóstico

O diagnóstico precoce é fundamental no tratamento contra qualquer tipo de câncer. A realização anual da mamografia para mulheres a partir de 40 anos é importante para que o câncer seja diagnosticado precocemente.

Autoexame: o autoexame é muito importante para que a mulher conheça bem o seu corpo e perceba com facilidade qualquer alteração nas mamas e assim procure rapidamente um médico. Vale lembrar que o autoexame não substitui exames como mamografia, ultrassom, ressonância magnética e biopsia, que podem definir o tipo de câncer e a localização dele.

Prevenção

A prevenção do câncer de mama não é totalmente possível em função da multiplicidade de fatores relacionados ao surgimento da doença e ao fato de vários deles não serem modificáveis.

De modo geral, a prevenção baseia-se no controle dos fatores de risco e no estímulo aos fatores protetores. Alimentação, controle do peso e atividade física podem reduzir em até 28% o risco de a mulher desenvolver o câncer de mama. Também deve-se evitar o consumo de álcool e tabaco.

Tratamento

O câncer de mama tem pelo menos quatro tipos mais comuns e alguns outros mais raros. Por isso, o tratamento não deve ser padrão. Cada tipo de tumor tem um tratamento específico, prescrito pelo médico oncologista.

Você pode conferir a matéria completa no site do Bem-Estar no g1.com.br


32743365_1702305029860611_6529582778030227456_n.png?fit=800%2C800&ssl=1
04/jun/2018

É normal inchar na gravidez, para amenizar o problema, algumas dicas são valiosas:

  1. Beba bastante líquido, principalmente nos dias quentes. O ideal é ingerir 2 a 3 litros de água por dia.
  2. Evite o sal na alimentação e reduza o consumo de comidas industrializadas.
  3. Faça caminhadas ou hidroginástica conforme a orientação de seu médico.
  4.  Evite ficar muito tempo numa mesma posição, em pé ou sentada, pois isso pode aumentar o inchaço.
  5. Durma de lado e coloque um travesseiro entre as pernas.
  6. Sandálias de tiras, rasteirinhas, sapatos altos ou de bico fino devem ser evitados. O salto deve ter no máximo 4 cm e o solado de borracha do tênis deve ter entre 1 cm e 2 cm.
  7. Evite usar roupas apertadas, o que pode causar varizes.
  8. Não cruze as pernas enquanto estiver sentada e sempre que for possível erga os pés.
  9. Se puder, faça drenagem linfática regularmente.

33532903_1710606682363779_3116905604052942848_n.png?fit=800%2C800&ssl=1
28/maio/2018

Você pode não saber, mas uma das vitaminas essenciais durante a gravidez é a Vitamina D, pois protege contra vários problemas de saúde.

Ela contribui para a boa saúde dos sistemas imunológico, ósseo, cardiovascular e muscular, além de diminuir o risco de diabetes tipo 1 e manter a pele saudável. No entanto, sua ausência pode ocasionar, entre outros problemas, pré-eclâmpsia na gravidez.

Mulheres que não estão com os níveis de vitamina D em dia durante a gestação estão mais propensas a terem bebês com autismo. Além disso a falta do nutriente pode ocasionar câncer, osteoporose, hipertensão, diabetes, derrames, distúrbios psiquiátricos e doenças autoimunes.

A exposição ao sol é a maior fonte deste hormônio. O ideal é ficar no sol, sem protetor solar durante 15 minutos ao dia, fora dos horários de sol a pino (até às 10h e depois das 17h).

Ter uma dieta saudável, composta por carnes, peixes leites e ovos também é importante. Uma alternativa para a baixa dosagem de vitamina D no organismo é a suplementação através de capsulas ou soluções que contenham o nutriente, mas a prescrição médica de acordo com as necessidades do paciente é indispensável, por isso, sempre consulte um especialista.


31960641_1691720160919098_8786959709828546560_n.png?fit=800%2C800&ssl=1
08/maio/2018

A Anemia na Gravidez é um problema comum e preocupante. Portanto, a compreensão dos detalhes da anemia, suas causas, sintomas e tratamentos é fundamental.

A anemia é um problema que pode afetar qualquer pessoa e é definida como uma deficiência de ferro, um mineral essencial em nosso corpo.

Essa alteração durante a Gravidez é um problema comum de mulheres grávidas, devido a muitas mudanças físicas e hormonais que ocorrem durante a Gravidez.

Qualquer deficiência de nutrientes pode ser fatal e deixa o corpo sem compostos essenciais para o funcionamento. Isso pode ser bem perigoso durante a Gravidez.

O ferro é um mineral essencial na produção de glóbulos vermelhos e hemoglobina, que é necessário para o transporte de oxigênio e outros nutrientes para diferentes áreas do corpo.


28947335_1641632119261236_8155073933820294588_o.png?fit=1000%2C1000&ssl=1
05/abr/2018

O crescimento do seu bebê exige um grande suprimento de sangue para transportar oxigênio extra e nutrientes.

Perto das 20 semanas, o volume de circulação do sangue cresce em 50%.

É comum que alguns vasinhos estourem nas pernas e nos pés.

Não existe forma de preveni-los, mas para diminuir a dor e o inchaço, eleve as suas pernas sempre que puder.

Em casos mais sérios, é recomendável usar meias de compressão ao sair de casa.


26910514_1580580488699733_6001909949991180329_o.png?fit=1000%2C1000&ssl=1
26/mar/2018

As disfunções hormonais provocam, por exemplo, a Síndrome dos Ovários Policísticos, caracterizada pelo aumento da produção de hormônios androgênios (masculinos) que deveriam ser liberados em pequena quantidade.

Outro exemplo são os desequilíbrios na hipófise, que geram alterações na liberação da prolactina, hormônio que estimula o crescimento das glândulas mamárias e a produção de leite materno.

É possível citar ainda as disfunções da tireoide, glândula que pode produzir irregularmente hormônio demais ou de menos. Esses desequilíbrios levam a um quadro de falta de ânimo, sonolência e, inclusive, queda da libido.

Infos: Minha Vida


27858288_1607302976027484_2498830304095945248_n.png?fit=960%2C960&ssl=1
19/mar/2018

Quando o assunto é engravidar, os mais velhos sempre dizem “pare de se preocupar, uma vez que você parar de tentar ficar grávida, aí é que você vai engravidar”. Bom, agora existe um estudo que diz exatamente isso, Durante o estudo, mulheres com alfa-amilase (um sinal de stress a longo prazo) tem o dobro do risco de serem inférteis.

Em quatro anos, 401 mulheres que pararam de usar quaisquer métodos contraceptivos e tentaram ter filhos se submeteram ao teste de saliva para duas substâncias que demonstram stress: a enzima alfa-amilase e o hormônio cortisol. As mulheres que forneceram a saliva durante o estudo, em dois momentos diferentes: antes e durante o período menstrual, fazendo com que as comparações entre elas fossem feitas do mesmo ponto de partida.

Os pesquisadores analisaram as amostras e então acompanharam as mulheres para avaliar quanto tempo ia demorar até que elas de fato engravidassem. Mulheres que engravidaram durante o primeiro mês do estudo (antes de fornecerem a segunda amostra de saliva) estavam inclusas na análise.

Os cientistas definiram infertilidade como uma falha para engravidar depois de um ano de relação sexual sem contraceptivos. Durante o estudo, 347 mulheres engravidaram e 54 não.


28165223_1613034232121025_3050242445352714832_o.png?fit=1000%2C1000&ssl=1
12/mar/2018

Ao contrário dos homens, que produzem espermatozoides continuamente durante sua vida, a mulher já nasce com o número determinado de óvulos para vida toda.

São milhares de óvulos, entre 400 e 500 mil, dentre os quais haverá uma seleção natural a fim de que os melhores sejam fertilizados.

A cada ciclo menstrual, para cada óvulo que atinge a maturação, aproximadamente mil são descartados.

Neste processo contínuo e normal, a quantidade de óvulos de boa qualidade disponíveis para ovulação vai diminuindo.

Os que restam são chamados de reserva ovariana, o que corresponde ao “estoque” de óvulos que permanece disponível nos ovários.

Após os 35 anos, este número já fica bem menor, o que culmina num declínio da fertilidade.

Estima-se que uma mulher acima de 38 anos tenha somente 10% dos óvulos que possuía na época da sua primeira menstruação.


18447530_1617630738328041_2232281647824291069_n.png?fit=700%2C700&ssl=1
05/mar/2018

Saber quais são os sinais que o corpo emite também é uma das formas de descobrir o período fértil e isto é particularmente importante para as mulheres que possuem menstruação irregular. Os sinais e sintomas do período fértil são:

  • Muco vaginal semelhante à clara de ovo, em maior quantidade que o habitual, claro e pouco espesso;
  • Pequeno aumento da temperatura corporal. Se o normal é 36ºC, no período fértil pode-se chegar a 36.5ºC, por exemplo;
  • Aumento do apetite sexual;
  • Pode haver algum desconforto no baixo ventre.

Quem deseja engravidar deve ter relações nos dias em que esses sintomas estiverem presentes porque assim as chances de engravidar aumentam.

Infos: Tua Saúde


Onde Estamos

Avaré, SP
Avenida Prefeito Paulo Novaes, 700
CEP: 18705-000
Tel: (14) 3732-3338
[email protected]

Política de Privacidade

Curta a Reproduh

Facebook Pagelike Widget

Médico Responsável: Dr. Afonso Celso Ramires Rosário - CRM-SP: 50.150